Microsoft cria relógio que ajuda a controlar os tremores do Parkinson

Protótipo e aplicativo do Projeto Emma. Foto: Microsoft.

Parkinson é uma doença neurológica que afeta os movimentos da pessoa. Causa tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio, além de alterações na fala e na escrita.

Tocada pelo diagnóstico de sua amiga, Emma, que deu nome ao projeto, a diretora de inovação da Microsoft Research Cambridge, na Inglaterra, Haiyan Zhang (39), mergulhou fundo no assunto para entender mais sobre a doença e descobrir como poderia ajudar.

Após vários meses de trabalho, ela conseguiu desenvolver um protótipo que utiliza vibrações motoras – similares às encontradas nos smartphones – para distrair o cérebro e faze-lo focar em outra coisa ao invés de tentar controlar os braços do paciente.

Zhang diz que é como se o cérebro de sua amiga estivesse em uma guerra interna – uma parte está tentando mover a mão, a outra tentando pará-la. Os dois comandos entram em conflito e se amplificam, causando os tremores. As vibrações enviadas pelo dispositivo conseguem parar esse “loop”.

Emma utilizando o relógio para escrever. Ao seu lado, Haiyan Zhang, criadora do projeto. Foto: Microsoft.

“É tudo uma questão de escutar a Emma descrevendo sua experiência, pois é o único jeito de entender o que acontece com ela psicologicamente. Só assim podemos trabalhar em ideias para resolver o problema. Ela me falou que consegue observar sua mão tremendo mas sem sentir o tremor porque as vibrações do relógio estavam vindo no lugar da sensação de tremor”, explicou Zhang.

“Acho que o que acontece é que com o dispositivo, o cérebro dela não sente mais a mão tremendo e não tenta mais faze-la parar. Desde que o projeto foi discutido, tenho conversado com neurologistas pesquisadores do assunto e essa linha de raciocínio segue uma base científica.”

O padrão dessas vibrações emitidas foi criado especificamente para o caso de Emma, mas pode ser customizado através do aplicativo instalado no tablet com Windows 10. Ao utilizar o relógio, Emma Lawton (33), disse que os tremores não param e que a escrita não é perfeita, mas é muito melhor.

Comparação da escrita de Emma, sem e com o dispositivo. Foto: Microsoft.

O Projeto Emma foi anunciado durante o Microsoft Build 2017 e a empresa fundada por Bill Gates informou que por enquanto, o mesmo ainda é um protótipo, mas que representa uma esperança para que as tecnologias vestíveis ajudem aqueles com essas condições específicas.

Mais de 10 milhões de pessoas no mundo convivem com a doença. Só nos Estados Unidos, 60 mil são diagnosticadas todos os anos. Depois da experiência bem sucedida, Zhang agora quer se aprofundar mais na pesquisa para aprimorar o projeto e ajudar mais pessoas.

Confira o vídeo publicado pela Microsoft:

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *