Ex-traficante se arrepende e passa a ajudar jovens com aulas grátis de exercício físico

Foto: Reprodução MSN.

Depois de quase 4 anos na prisão por tráfico de drogas, o americano Jaquan Adams (28), tem dedicado seu tempo livre para orientar jovens da sua vizinhança na prática de exercícios físicos. Ele sente que essa é uma maneira de retribuir o mal que fez ao vender drogas e destruir famílias da região.

Ao lembrar das dificuldades financeiras que sua família enfrentou quando ele era jovem, Adams disse que a única referência que tinha eram traficantes e que ele se tornou um produto do meio em que vivia, mas acabou preso.

Depois de nove meses cumprindo sua pena, disse que se tocou do mau que fazia, sentiu muito remorso e começou a escrever cartas e fazer telefonemas prometendo retratações às famílias que ele sabia que tinha prejudicado.

Ele conta que aprendeu muito sobre saúde e ginástica na prisão e teve vontade de transformar esse interesse em carreira. Quando recuperou a liberdade, entrou para a Westhill High School, onde conseguiu sua certificação de personal trainer.

Hoje, duas vezes por semana, Adams dá aulas gratuitas para jovens que ainda estão na escola. As atividades acontecem no bairro em que morava e costumava traficar drogas. Atualmente sua fonte de renda vem dos serviços de personal trainer que presta a outras pessoas.

“Muitas dessas crianças não têm qualquer orientação. Estou apenas tentando mostrá-las que existem muitas coisas melhores para elas por aí. Eu quero que eles vejam os caminhos que existem além daqui.”

Novas oportunidades para jovens infratores em Pernambuco

Em 2014, a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Case) da cidade de Jaboatão (PE), recebeu o Prêmio Innovare pelo modelo de ressocialização utilizado com os adolescentes. Sem celas ou pavilhões, os educandos são divididos por “casas”, de diagnóstico, acolhimento, compartilhamento, convivência protetora e projeto de vida.

O ensino escolar funciona com base em um tema atual que faça parte da realidade dos jovens e que é aproveitado para diferentes disciplinas. Os adolescentes frequentam a escola pela manhã e ao longo do dia participam de uma das 15 atividades extras que são oferecidas, como aulas de educação artística, robótica, capoeira, alfabetização, entre outras.

Foto: Mauro Filho / Funase

Dados da instituição mostram que apenas 13% dos jovens que passam pelo local reincidem no crime, o que é um número baixo, se comparado aos 43,3% da taxa de reincidência nacional ou dos 54% da região Nordeste.

Um dos responsáveis pelo projeto, Adalberto Teles, que também é professor e psicólogo, diz que o modo como os jovens são tratados e as oportunidades que possuem, contribuem com os bons resultados, pois lá eles tem o acolhimento e o afeto que lhes faltam em suas famílias e na sociedade.

“Aqui o jovem não é submetido a viver em um local com aspecto de cadeia. Os meninos chegam quase sempre de uma realidade de tráfico e assaltos, alguns não sabem ler aos 15 anos”

Em um vídeo do Instituto Innovare, Adalberto fala um pouco mais sobre o projeto, confira:

Uma notícia publicada em abril, mostra que a instituição ainda continua investindo em atividades para os jovens. Recentemente os garotos receberam um treinamento que os habilita a atuar como socorristas. Clique aqui para ler a matéria no site do Governo de Pernambuco.

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *